Teresina - PI

Prefeitura de Teresina orienta que venezuelanos não peçam esmolas

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) informando que tem prestado toda assistência aos migrantes venezuelanos.

Wanessa Gommes
Teresina

A prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), divulgou nota, nesta quarta-feira (12), informando que tem prestado toda assistência aos migrantes venezuelanos que estão na capital.

A secretaria orienta ainda que os venezuelanos não pratiquem a mendicância, sobretudo com exposição de crianças, já que é uma prática condenada pelo Estatuto da Criança e Adolescente.

Confira abaixo a nota na íntegra:

Nota de Esclarecimento

A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) e Fundação Municipal de Saúde (FMS), informa que tem prestado toda assistência aos migrantes venezuelanos desde sua chegada, no dia 13 de maio.

Atualmente, o grupo formado por cerca de 150 venezuelanos indígenas da etnia Wurau está distribuído em 03 abrigos, localizados nos bairros Poti Velho, Mocambinho e Km 07. Eles recebem kits de higiene pessoal, alimentação, limpeza e estão sendo atendidos pelas equipes do Programa Saúde da Família, das Unidades Básicas de Saúde dessas áreas.

Além disso, os migrantes recebem atendimento psicossocial pelas equipes dos Centros de Referência Especializada da Assistência Social (CREAS), atendimento recreativo com as crianças pelas equipes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e segurança com monitoramento da Guarda Civil Municipal de Teresina.

Um comitê de acolhimento foi formado com a participação de órgãos do poder público municipal, estadual, organizações não governamentais com a finalidade de planejar e executar ações de atendimento aos venezuelanos.

A Prefeitura de Teresina esclarece que tem orientado o povo venezuelano, através dos Agentes de Proteção Social (APS), a não praticar a mendicância, sobretudo com exposição de crianças, prática condenada pelo Estatuto da Criança e Adolescente.

Venezuelanos

O primeiro grupo, com 52 venezuelanos chegou a Teresina, no dia 12 de maio deste ano, sendo a maior parte indígena e que morava no interior no país. Logo após a chegada dos refugiados, o Ministério Público do Estado abriu um procedimento administrativo para tratar sobre o acolhimento humanitário e assistência emergencial à população de venezuelanos.

Mais 28 venezuelanos chegaram no último dia 28, sendo 15 crianças, 10 adultos e três idosos. Inicialmente, eles ocuparam a Praça Saraiva, no centro da Capital.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mais 28 venezuelanos chegam a Teresina e ocupam Praça Saraiva

Promotora vai acompanhar assistência aos venezuelanos em Teresina

Cerca de 50 imigrantes venezuelanos se refugiam em abrigo no Poti Velho

Mais conteúdo sobre: