GP1

Coronavírus no Piauí

Empresário morre de covid-19 em Teresina após perder esposa e filha

A esposa de Manoel Honorato, Noélia Maranhão, morreu três dias atrás, e a filha Bianca, há 10 dias.

A pandemia da covid-19 segue fazendo uma série de vítimas e destruindo famílias no Piauí. Nesta terça-feira (08) morreu em Teresina o empresário Manoel Honorato Nascimento Filho, esposo da professora Noélia Maranhão e pai de Bianca Maranhão, que também perderam a vida em decorrência do novo coronavírus.

Manoel Honorato morreu após passar um mês internado e três dias depois que sua esposa, Noélia Maranhão, se foi. Dez dias antes, a filha do casal, a estudante de nutrição Bianca Maranhão Honorato, 24 anos, também não resistiu aos danos causados pelo vírus.

A morte do pai foi confirmada na tarde de hoje nas redes sociais por Maria Clara Honorato, a irmã mais nova de Bianca. Maria Clara possui uma papelaria que administrava junto com o pai.

“Manoel sempre será lembrado por sua alegria, responsabilidade, cuidado para com a loja. Agradecemos a todos que sempre nos apoiaram e confiaram no nosso trabalho. Não temos previsão de quando voltaremos as atividades da loja, mas desde já muito obrigada por todo apoio”, escreveu Maria Clara, que agora é a única sobrevivente na família.

Foto: Reprodução/WhatsAppBianca Maranhão, Noélia Maranhão, Maria Clara e Manoel Honorato Nascimento
Bianca Maranhão, Noélia Maranhão, Maria Clara e Manoel Honorato Nascimento

Morte da esposa e filha

No dia 4 de junho a professora Noélia Maranhão, que estava internada há quase um mês em um hospital particular de Teresina, faleceu em decorrência de complicações causadas pela doença. A docente morreu 10 dias após a filha Bianca.

Além de professora, Noélia também foi diretora da Escola Municipal Vereador José Ommati. Da família Maranhão Honorato resta apenas a filha mais nova, Maria Clara.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.