GP1

Política

Hamilton Mourão critica demora da sabatina de André Mendonça

Mourão também revelou ter outro nome para a Corte: o desembargador Thompson Flores, do TRF-4.
Por Estadão Conteúdo

O vice-presidente Hamilton Mourão criticou nesta quarta-feira, 13, a demora do presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), em pautar a sabatina do indicado pelo presidente Jair Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça. Na sua chegada ao Palácio do Planalto, o vice-presidente, no entanto, revelou ter outro nome para a Corte: o desembargador Thompson Flores, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). "A minha indicação o presidente não quer", disse o general a jornalistas.

Na avaliação de Mourão, Alcolumbre erra ao não pautar a indicação de Mendonça. "Acho que não está correto isso aí. Acho que o senador Alcolumbre deveria cumprir a tarefa dele como presidente da Comissão de Constituição e Justiça, botar o nome para ser votado e acabou. Se for aprovado muito bem, se não for muito bem também, é o papel do Senado, confirmar ou não a indicação do presidente da República", afirmou. Cabe ao presidente da CCJ do Senado definir a data da sabatina. A indicação aguarda encaminhamento na comissão há quase três meses.

No domingo, Bolsonaro já havia reclamado do comportamento de Alcolumbre. "(O senador) teve tudo o que foi possível durante os dois anos comigo e, de repente, ele não quer o André Mendonça", afirmou no Guarujá, onde passou o feriado prolongado. "Quem pode não querer é o plenário do Senado, não é ele... Ele pode votar contra, agora, o que ele está fazendo não se faz. A indicação é minha. Se ele quer indicar alguém para o Supremo, indica dois. Ele se candidata a presidente ano que vem e, no primeiro semestre de 2023, tem duas vagas para o Supremo."

Evangélicos têm pressionado o senador a tomar uma decisão. Na segunda-feira, o pastor Silas Malafaia cobrou publicamente ministros do Centrão, como Ciro Nogueira, da Casa Civil, e Flávia Arruda, da Secretaria de Governo, a defenderem a indicação de Mendonça, escolhido por Bolsonaro por ser "terrivelmente evangélico".

Mourão afirmou nesta quarta-feira que tem um plano B para o STF, o desembargador Thompson Flores. A indicação do vice-presidente, contudo, teria sido rejeitada pelo chefe do Executivo. "O presidente tem conhecimento da competência técnica e profissional do desembargador, mas o presidente tem outras variáveis que leva em consideração nessa decisão", declarou o vice-presidente.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.