GP1

Política

Senador Marcelo Castro diz que não é momento para CPI da Covid-19

"Seria mais adequado nos unirmos para enfrentar isso [covid-19]", disse Marcelo Castro.

O senador Marcelo Castro (MDB-PI) se manifestou favorável à instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado Federal nessa terça-feira (13), mas explicou que não assinou o requerimento para abertura da investigação porque acredita que o momento é “inoportuno”. A CPI foi proposta para apurar ações do Governo Federal no combate da covid-19 e pode se estender para estados e municípios.

“Eu não assinei a CPI. Não que eu seja contra que se investigue e apure aquilo que se deve ser apurado. Mas no momento em que estamos passando no Brasil, com o pico da pandemia e 4 mil mortes por dia, eu entendo que seria mais adequado nos unirmos para enfrentar isso. Se dependesse de mim, eu deixaria a CPI para um momento mais oportuno, talvez daqui a alguns meses”, declarou.

Foto: Lucas Dias/GP1Senador Marcelo Castro
Senador Marcelo Castro

Castro frisou ainda que a instalação da CPI é constitucional e é um instrumento importante de todos os parlamentos do mundo para apurar algo que supostamente está “fora das normas”.

A CPI

Na última quinta-feira (08), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Roberto Barroso, determinou que o Senado instale uma CPI para apurar eventuais omissões do Governo Federal no combate à pandemia. Parlamentares articularam a expansão da investigação aos estados e municípios e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, decidiu ampliar o escopo das investigações da CPI para incluir Estados e municípios.

Sobre esse aspecto, Marcelo Castro avaliou a CPI como inoportuna neste formato. “A CPI tem um foco, investiga um fato determinado, se for fazer uma CPI genérica, pra União, estados e municípios, nós podemos perder em qualidade”, pontuou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.