Condições sanitárias do Matadouro de Novo Oriente fazem urubu passar mal

- atualizado

São estarrecedoras as condições higiênicas e sanitárias do Matadouro Público Municipal de Novo Oriente do Piauí/PI, capazes de fazer até urubu passar mal.

O quadro é assustador, com extremada falta de higiene, presença de sangue, restos de carne e sebo pelo chão, paredes, utensílios e equipamentos.

Todo o procedimento de abate de animais é feito no chão, em condições impróprias e os manipuladores das carnes não atendem às exigências mínimas de higiene.

  • Foto: DivulgaçãoMatadouro Público Municipal de Novo Oriente do PiauíMatadouro Público Municipal de Novo Oriente do Piauí

As vísceras dos animais ficam espalhadas, indicando que os animais não passam pelo tempo recomendado de jejum pré-abate.

  • Foto: DivulgaçãoVísceras de animais espalhadas no Matadouro de Novo Oriente do PiauíVísceras de animais espalhadas no Matadouro de Novo Oriente do Piauí

A contaminação da carne pode ocorrer quando o animal ainda está vivo, motivado pelo alto grau de agentes de contaminação encontrados nos meios externo e interno, causada pela invasão de microrganismos, por não ser adotado as práticas de higiene adequadas antes e depois do abate.

  • Foto: DivulgaçãoMatadouro Público de Novo Oriente do PiauíMatadouro Público de Novo Oriente do Piauí

O que se vê é a saúde pública sendo negligenciada, necessitando que providências sejam urgentemente tomadas por órgãos competentes e responsáveis pelo estabelecimento.

  • Foto: DivulgaçãoDependências do Matadouro Público de Novo Oriente do PiauíDependências do Matadouro Público de Novo Oriente do Piauí

O matadouro é de responsabilidade do Município, que é administrado pelo prefeito Arnilton Nogueira.

*Com a colaboração do jornalista Gil Sobreira

Mais conteúdo sobre:
Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Herbert Sousa é jornalista. Contato: (86) 9 8806-8907 / (86) 9 9436-9811