GP1

Coronavírus no Piauí

Wellington Dias articula aprovação da Sputnik com Argentina e Anvisa

A medida ocorre devido a uma solicitação da Anvisa que quer relatórios de países que utilizam a vacina.

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias (PT), se reuniu nesta quinta-feira (8), por videoconferência, com a assessora da presidência da Argentina e coordenadora da pauta de vacinas no país, Cecília Nicolini, a fim de articular a autorização da vacina Sputnik V contra a covid-19. A medida ocorre devido a uma solicitação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que quer relatórios de países que utilizam o imunizante.

“Essa vacina está sendo utilizada desde o início da vacinação, de modo especial na região da grande Buenos Aires e com bons resultados. A Argentina se prontificou, já encaminhando o relatório sobre os baixos efeitos colaterais, a imunização adequada. Inclusive, eles usam outras vacinas e a Sputinik é colocada como aquela de maior imunização”, disse.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Governador Wellington Dias
Governador Wellington Dias

“Esse mesmo estudo foi realizado também pelo México e em 58 países do mundo e queremos usar no Brasil, pois precisamos de mais vacinas para salvar vidas, para menos hospitalização e para menos óbitos”, destacou.

O Consórcio de Governadores do Nordeste já negocia com o governo russo a compra de 37 milhões de doses da Sputnik V, o imunizante é mais uma opção para a imunização da população brasileira. Conforme o governador do Piauí, a legislação brasileira prevê a validação da autorização excepcional quando um imunizante tiver recebido o aval de autoridade sanitária de uma série de países.

“Temos esse contrato do Consórcio Nordeste, junto com estados do Norte, para comprar 37 milhões de doses e agora precisamos só da autorização da Anvisa para chegar vacina ainda em abril e temos outro contrato para a compra de 10 milhões de doses. Então, tudo que pudermos fazer para ajudar, como esse contato que estamos fazendo com a Argentina, vamos fazer. Entendemos que é uma operação para salvar vidas”, finalizou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.