Esportes

FIFA decide reduzir pena do jogador Paolo Guerrero para 6 meses

Defesa é notificada de redução de pena de Paolo Guerrero, que poderá jogar a Copa do Mundo.

Nayrana Meireles
Teresina
- atualizado

A pena de Paolo Guerrero foi reduzia de um ano para seis meses. A decisão foi tomada pelo Tribunal de Apelação da Fifa após recursos da defesa do atleta. Ele cumpre suspensão desde o dia 3 de novembro. Com isso, o jogador poderá jogar na Copa do Mundo de 2018 com a seleção peruana.

De acordo com informações do G1, com a redução, o atacante pode voltar a jogar em maio de 2018, mas a defesa ainda tentará uma absolvição total na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

  • Foto: Celso Pupo/FotoArena/Estadão ConteúdoPaolo GuerreiroPaolo Guerrero

O testo para uso de benzoilecgonina deu positivo. A substância é o principal metabólito da cocaína encontrado em exame antidoping realizado após o jogo entre Peru e Argentina, no dia 5 de outubro. A partida era válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Por causa disso, a Fifa suspendeu o atleta por 30 dias preventivamente.

Segundo a defesa, o metabólito benzoilecgonina, presente na cocaína e encontrado na urina do centroavante do Flamengo, é proveniente da folha de coca utilizada para chá consumido em diversos países da América do Sul. Os advogados apontam contaminação em um outro tipo de chá ingerido pelo jogador.

Confira a nota da Fifa:

Em 20 de dezembro de 2017, a Comissão de Apelação da Fifa decidiu aceitar parcialmente o recurso interposto pelo peruano Paolo Guerrero. Portanto, a decisão adotada pela Comissão Disciplinaria no dia 7 de dezembro de 2017, na qual o jogador foi suspenso por um ano, foi parcialmente reduzida para o período de suspensão de seis meses.

Depois de analisar todas as circunstâncias específicas do caso, em particular o grau de culpabilidade do jogador, a Comissão de Apelação considerou que o período de seis meses é uma sanção apropriada.

Depois do controle de dopagem realizado depois do jogo válido pela eliminatória da Copa do Mundo da Rússia 2018, disputado em Buenos Aires, dia 5 de outubro, o jogador testou positivo para o metabólito benzoilecgonina, substância incluída na lista de proibições da Fifa, na classe S6 estimulantes.