Política

Themístocles diz que "remédio" para eleição na Alepi será a disputa

“Como o Marcelo [Castro] falou, o remédio para alguns problemas tem que ser o voto", afirmou.

Andressa Martins
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O deputado estadual Themístocles Filho (MDB), candidato à reeleição da Presidência da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) concordou com o senador Marcelo Castro (MDB) e afirmou que o “remédio” para resolver o imbróglio acerca da eleição interna da Casa será o voto.

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) lançou o deputado Hélio Isaías para concorrer com Themístocles. Desde então, o governador Wellington Dias (PT) busca um consenso para que um dos candidatos desista e apoie a candidatura do outro a fim de evitar racha na base aliada.

O presidente do Progressistas no Piauí, deputado Júlio Arcoverde, advertiu o governador de que caso não haja consenso em torno do nome de Hélio, haverá “sequelas” na base. Wellington, no entanto, resolveu se manter neutro na disputa.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Themístocles FilhoThemístocles Filho

“Como o Marcelo falou, o remédio para alguns problemas tem que ser o voto. Porque se fosse assim para governador só tinha um concorrente, presidente só tinha um, senador só tinha um, deputado só tinha os 30”, explicou.

Themístocles disse ainda que não tem “queixa nenhuma da eleição passada” e acha “mais que natural” que na época Wellington tenha lançado Fábio Novo (PT) candidato à presidência.

“A gente foi para o embate, graças a Deus o deputado Themístocles venceu e nem por isso criei algum problema para o estado do Piauí, para o governador do Estado, ao contrário, ajudei na medida do possível que o Piauí precisou, que o governador precisou”, afirmou.

“Então neste momento o deputado Themístocles e o MDB votou no governador, o outro colega também votou. Se a gente daqui para lá não encontrar um entendimento, deixa os colegas decidirem livremente”, concluiu Themístocles.