GP1

Teresina - Piauí

Motoristas de ônibus paralisam atividades na zona leste de Teresina

O Sintetro informou que cerca de 17 ônibus não saíram da garagem na manhã desta quinta-feira (04). Eles reivindicam o pagamento de salários atrasados.

Cerca de 17 ônibus que atendem a zona leste de Teresina não saíram da garagem na manhã desta quinta-feira (4). Motoristas e cobradores que fazem parte do Consórcio Urbanus decidiram paralisar as atividades reivindicando pagamento de salários atrasados.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Público de Teresina (Sintetro), Francisco Sousa, os demais veículos que atendem a zona leste estão circulando normalmente, mas com a frota reduzida. Em razão da pandemia, o Governo Federal emitiu uma Medida Provisória que assegurou o pagamento de 30% do salário para trabalhadores que precisaram se afastar, no entanto, o diretor explicou que a empresa não fez o repasse aos trabalhadores.

“Por conta da pandemia, a empresa é obrigada a pagar 30% do salário, conforme a MP determinou e acontece que a empresa [Urbanus] está há três meses sem pagar os trabalhadores. Como se não bastasse, os trabalhadores entraram de férias no mês de janeiro e era para ter sido pago o valor correspondente às férias e até o momento eles não receberam, uma média de 15 colaboradores”, disse o diretor do Sintetro ao GP1.

O diretor explicou ainda que mesmo com o atraso no pagamento dos valores referente às férias, a empresa decidiu colocar outra parte dos trabalhadores em recesso, acumulando agora o pagamento de duas equipes.

“Durante todo o mês de janeiro que estivemos nos mobilizando, procuramos a empresa que se comprometeu a cumprir com a legislação trabalhista e ela, por sua vez, não cumpriu. Chegou o dia 1º de fevereiro, a empresa colocou mais outra equipe de trabalhadores de férias e mais uma vez não pagaram as férias. Estamos aguardando o posicionamento da empresa, mas os trabalhadores não vão voltar a circular enquanto o repasse não for feito”, informou.

Quarta paralisação

Essa já é a quarta paralisação do transporte público de Teresina desde que o ano iniciou. A primeira aconteceu no dia 11 de janeiro, também por cobrança em pagamento de salários. A segunda paralisação durou três dias, encerrando no dia 27 de janeiro, nesse caso os trabalhadores denunciavam o não pagamento de ticket-alimentação, plano de saúde e salário abaixo do ideal.

A terceira paralisação aconteceu no dia primeiro de fevereiro, trabalhadores do Consórcio Theresina protestou contra a demissão de um trabalhador, na qual consideraram injusta. Nas duas últimas paralisações, os trabalhadores chegaram a um acordo pondo fim à greve.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.