GP1

Teresina - Piauí

Gilberto Albuquerque nega risco de falta de oxigênio em Teresina

Segundo o médico, a empresa responsável pelo abastecimento segue entregando o produto todos os dias.

O presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Dr. Gilberto Albuquerque, negou durante entrevista ao GP1 na tarde desta sexta-feira (25) o risco de desabastecimento de oxigênio em Teresina, insumo essencial usado por pacientes graves com covid-19.

Segundo o médico, a empresa responsável pelo abastecimento segue entregando o produto e reabastecendo os estoques todos os dias. Ele ressaltou que, se acontecer algum problema relacionado a logística de entrega, a prefeitura tem até 48h para solucionar o problema, porque a reserva técnica de oxigênio nos hospitais do município é de dois dias.

Foto: Alef Leão/GP1Gilberto Albuquerque
Gilberto Albuquerque

“A empresa abastece as unidades de saúde todos os dias, mas nós não podemos usar ele todo durante aquela data, porque se houver problema com o caminhão que abastece vai faltar. Então, temos uma reserva de dois dias”, esclareceu o presidente da FMS.

Gilberto Albuquerque informou ainda que a FMS vem evitando internações em hospitais onde a reserva técnica é menor que a média de dois dias, atualmente encaminhado os pacientes apenas para hospitais com maior capacidade no armazenamento de oxigênio.

“No momento estamos evitando internar pacientes onde a reserva é pouco. E encaminhado essas pessoas paras unidades com um suporte maior de oxigênio”, finalizou o médico.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.