GP1

Corrente - PI

Prefeito de Corrente é investigado pela Polícia Federal

O prefeito Gladson Murilo disse que não foi notificado sobre a investigação.

A Polícia Federal está investigando através de inquérito, a suposta compra de votos na eleição municipal de 2020 na cidade de Corrente/PI, beneficiando os candidatos à reeleição Gladson Murilo e Diana Messias Paranaguá Cavalcanti, prefeito e vice-prefeita, reeleitos, respectivamente.

A investigação foi requisitada pela promotora Gilvânia Alves Viana, da 22ª Zona Eleitoral, visando instruir ‘Notícia de Fato’ instaurada após representação noticiando eventual crime de corrupção eleitoral.

Foto: Reprodução/FacebookGladson Murilo
Gladson Murilo

A representação é instruída com dois vídeos onde ocorreria uma suposta negociação de material de construção em troca de votos, “demonstrando um poderio econômico invejável e disposição em utilizá-lo para garantir o êxito eleitoral a todo custo”.

Os vídeos foram enviados ao departamento técnico científico da Policia Federal, onde serão submetidos a perícia, para que sejam respondidos quesitos formulados pela autoridade policial, no caso, a descrição do material, se há indícios de edição de caráter fraudulento e se é possível indicar com precisão quando foi gravado.

Instaurado no dia 12 de fevereiro de 2021, a investigação é presidida pelo delegado Alex Silva Chagas, designado pela Superintendência Regional no Piauí.

O Código Eleitoral, no artigo 299, considera crime e prevê pena de reclusão de até quatro anos e pagamento de multa: "dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita."

Outro lado

Procurado na manhã dessa segunda-feira (26), o prefeito Gladson Murilo disse que não foi notificado sobre a investigação, mas negou a prática de compra de votos nas eleições.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.