Professor fica na Suécia e UFPI quer dinheiro do doutorado de volta

- atualizado

Contratado por uma multinacional enquanto fazia doutorado na Suécia, o professor do curso de computação da Universidade Federal do Piauí, Ricardo de Sousa Britto, filho da vereadora Teresa Brito (PV) está construindo uma casa naquele país e não quer mais voltar. Para não perder o emprego e nem devolver o dinheiro investido em seus estudos, encaminhou um pedido de transferência para o setor de educação à distância sem obter sucesso: a UFPI não apenas negou a transferência como exige a devolução do dinheiro investido e quer que ele volte para transmitir o conhecimento adquirido.

Ricardo Britto concluiu o doutorado recentemente. Durante quatro anos a Universidade Federal do Piauí pagou o salário dele enquanto estudava para se transformar num professor mais capacitado. Ao longo desse período professores que ficaram no Piauí se revezaram para cobrir a ausência do colega. Agora, já tendo defendido o seu doutorado, Ricardo foi contratado pela Ericsson, multinacional no setor de eletrônicos.

Para ficar com os dois salários e continuar morando num país de primeiro mundo, Ricardo entrou com um pedido na Universidade para se transformar em professor à distância mas o órgão que trata do assunto recusou e quer sua presença no Piauí ou o dinheiro de volta mas Ricardo Britto, acostumado com o inverno europeu, entrou na Justiça e os professores temem que consiga o seu intento por que sua mãe é política.

EXCLUSIVAS

Fantasma de primeiro mundo

Na realidade o professor Ricardo Britto quer se transformar num "fantasma de primeiro mundo", segundo disse um dos seus humildes colegas da Universidade Federal.

Tem um caso

Professores disseram ontem a este repórter que houve um caso no passado de um professor que não quis voltar para o Piauí, mas ele pediu demissão e devolveu o dinheiro que a UFPI tinha investido.

Empresa pagou

A empresa que contratou esse professor arcou com as despesas e ele não ficou devendo nada material à Instituição, só mesmo um pouco da sua ética.

Agora é demais

Agora é demais: o professor Ricardo Britto quer que a Justiça lhe permita passar um tremendo de um calote na Universidade Federal do Piauí e ainda quer que a Instituição banque a sua doce vida na Europa.

Foi assim

Foi com soluções assim, como a tentada pelo professor Ricardo, que muitos rebentos da elite piauiense conseguiram fazer coleções de diplomas às custas de instituições que não cumpriram o seu papel de preparar quem realmente tem compromisso com o seu Estado.

Ciro anuncia Margarete federal

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Margarete Coelho e Ciro Nogueira  Margarete Coelho e Ciro Nogueira

O Progressistas deve anunciar pouco antes das 11 horas da manhã de hoje que a vice-governadora Margarete Coelho deve ser candidata a deputada federal com o apoio integral do Governo.

Projeto é Ciro

Este ano de 2018 a prioridade do Progressistas é reeleger o senador Ciro Nogueira, o líder maior que certamente continuará à frente da legenda a nível nacional.

Perde oportunidade

Deputado do Progressistas disse ontem a este modesto repórter que o "Progressistas está perdendo uma grande oportunidade de fazer o governador do Estado".

Ciro deputado

No entendimento do mesmo parlamentar Ciro Nogueira poderia lançar Margarete candidata a governadora, "descer para deputado federal e continuar líder nacional" e fazer uma coligação colocando Wilson Martins e Dr. Pessoa como candidatos ao Senado.

"É o Teté"

  • Foto: Lucas Dias/GP1Robert Rios Robert Rios

Durante a sessão de ontem (25) da Assembleia Legislativa o deputado Robert Rios Magalhães passou uma mensagem para o senador Ciro Nogueira, perguntando "quem é o vice?".

A resposta veio curta e seca: "é o Teté"

  • Foto: Lucas Dias/GP1Themístocles FilhoThemístocles Filho

Teté é o apelido do deputado Themístocles Sampaio Pereira Filho.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Bacharel em Direito, Feitosa Costa é jornalista desde 1977 e escreve a Coluna Política & Bastidores. Contato: (86) 98162 1515 / 99987 8114