Teresina - PI

Família de Vanessa Carvalho quer que Pablo Campos vá a Júri Popular

Segundo o advogado Leonardo Queiroz, a família ainda espera que o Ministério Público ofereça denúncia contra o empresário pelos crimes de feminicídio e feminicídio tentado.

Andressa Martins
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

O advogado da família da jovem Vanessa Maria Chaves Carvalho, Leonardo Queiroz, disse em entrevista ao GP1, nesta quarta-feira (09), que as informações coletadas durante o inquérito policial são suficientes para que o Ministério Público ofereça denúncia contra o empresário Pablo Henrique Campos Santos pelos crimes de feminicídio e feminicídio tentado. A família aguarda que ao fim do processo, o empresário seja submetido ao Tribunal do Júri.

Leonardo Queiroz ressaltou o trabalho do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), por meio do Núcleo de Feminicídio e da delegada titular Luana Alves. As investigações foram concluídas em dez dias, tendo em vista que o acusado havia sido preso logo após o crime.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Advogado Leonardo QueirozAdvogado Leonardo Queiroz

Durante a investigação, além de Pablo Campos e da namorada Anuxa Kelly Leite de Alencar, a polícia ouviu outras 21 testemunhas. A acusação espera que Pablo seja submetido a julgamento no Tribunal Popular do Júri.

“Estamos convictos de que os elementos de informação que foram coletados até então são suficientes para adequar a conduta do Pablo aos crimes de feminicídio em relação à Vanessa e que ele seja submetido a julgamento pelo Tribunal Popular do Júri, isso é o que nós esperamos. Agora concluída essa fase de investigação, os autos vão ser disponibilizados para o Ministério Público e esperamos que o membro ministerial coadune desse entendimento e denuncie o Pablo pelo crime doloso contra a vida”, afirmou o advogado Leonardo Queiroz.

Violência doméstica

Pablo já respondia por outros crimes de violência contra a mulher. O GP1 publicou que em 2016 o empresário foi denunciado à Delegacia Especializada dos Direitos da Mulher acusado de agredir e injuriar a então namorada com socos e ameaçá-la de morte. O advogado entende que as “reiteradas agressões contra mulheres de forma progressiva” podem sim pesar em desfavor de Pablo em julgamento.

  • Foto: Arquivo PessoalAnuxa Kelly Leite Alencar, Pablo Campos e Vanessa CarvalhoAnuxa Kelly Leite Alencar, Pablo Campos e Vanessa Carvalho

“Entendemos que esse histórico de violência perpetrada contra mulher por parte do Pablo é também o que fundamentou além da manutenção da prisão dele, pelo próprio magistrado na audiência de custódia, reiteradas agressões contra mulheres de forma progressiva, desta vez culminando a morte de uma jovem. Entendemos que isso pesa sim em desfavor dele e deve ser levado em consideração no julgamento”, continuou Leonardo.

Anuxa nega agressão

Anuxa Alencar negou que tenha sofrido agressões físicas por parte do namorado Pablo Campos. Questionado se essa declaração poderia de alguma forma servir como base para a defesa de Pablo, o advogado disse que não, já que é comum as vítimas de violência nutrirem “afeto” pelo agressor.

“Essa conduta por parte das vítimas em geral é mais comum do que parece e ela se justifica por diversas razões. Às vezes medo, às vezes vergonha. Tenho conhecimento da existência de uma patologia psicológica na qual a vítima nutre um certo afeto pelo seu agressor, que é chamada como Síndrome de Estocolmo. São vítimas tanto de agressões familiares, domésticas, como vítimas que são sequestradas e se apaixonam pelos sequestradores”, explicou.

  • Foto: Divulgação/PMEmpresário Pablo Henrique Campos SantosEmpresário Pablo Henrique Campos Santos

Leonardo concorda com a delegada Luana Aves no quesito de que era difícil para Anuxa reconhecer que o relacionamento era abusivo. “Talvez ela não pudesse perceber o quão abusivo era, mas quem via de fora, terceiros, familiares, amigos, todo mundo percebia que havia algo de diferente naquele relacionamento e que era exatamente um relacionamento abusivo, agressivo e que por mais que ela alegue que não sofria esses tipos de agressões anteriormente, nós estamos aqui para julgar não fatos pretéritos, mas um fato comprovado”, continuou.

Atuação da defesa

Leonardo Queiroz disse que a defesa de Pablo Campos certamente vai tentar “minorar as consequências da conduta” do acusado, mas disse que acredita que a “verdade prevalecerá”.

“Existem inúmeras teses que a defesa pode sustentar, a defesa até o momento não adiantou qual tese ela vai usar, mas nós entendemos que os elementos de informação já coletados serão devidamente confirmados em instrução processual e, independente da tese utilizada pela defesa, a verdade prevalecerá. Nosso interesse é que a verdade venha à tona e ao ser apreciada por pessoas do povo no Tribunal Popular do Júri, a justiça seja feita”, finalizou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Leonardo QueirozLeonardo Queiroz

O crime

A enfermeira Vanessa Carvalho, de 28 anos, morreu e sua amiga, Anuxa Kelly Leite ficou ferida após serem atropeladas na madrugada de domingo (29). O atropelamento aconteceu em frente ao Buffet Fiori, na Avenida Homero Castelo Branco, na zona leste de Teresina. O acusado é o namorado de Anuxa, o empresário Pablo Henrique Campos Santos.

  • Foto: Arquivo PessoalVanessa CarvalhoVanessa Carvalho

De acordo com o inquérito, Pablo e Anuxa discutiram durante a festa de casamento e ao deixarem a festa, o empresário atropelou propositalmente as duas jovens. Após o crime, Pablo foi até sua residência, onde foi preso em flagrante. A prisão vou convertida em preventiva na audiência de custódia e Pablo foi transferido para a Cadeia Pública de Altos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Empresário Pablo Campos é acusado de espancar e ameaçar ex-namorada

Jovem morre e amiga fica ferida após serem atropeladas na Homero

Polícia Civil indicia empresário Pablo Campos por feminicídio