Esportes

Peru derrota Uruguai nos pênaltis e encara o Chile na Copa América

Nas penalidades, Cavani, Stuani, Bentancur e Torreira marcaram para o Uruguai, enquanto que Guerrero, Ruidíaz, Yotún, Advíncula e Flores balançaram as redes para o Peru.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O Peru é semifinalista da Copa América. Após empate por 0 a 0 no tempo normal, o time do técnico argentino Ricardo Gareca derrotou o Uruguai por 5 a 4 nas cobranças de pênaltis, na Arena Fonte Nova, em Salvador, e vai encarar o Chile, nesta quarta-feira, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, por uma vaga na final da competição continental, marcada para o dia 7 de julho, no Rio de Janeiro.

Nas penalidades, Cavani, Stuani, Bentancur e Torreira marcaram para o Uruguai, enquanto que Guerrero, Ruidíaz, Yotún, Advíncula e Flores balançaram as redes para o Peru. O centroavante Luis Suárez perdeu a primeira cobrança uruguaia, defendida pelo goleiro Gallese. Durante o tempo regulamentar, os uruguaios tiveram três gols anulados por impedimento, em lances que envolveram a atuação do árbitro de vídeo (VAR).

Maior campeão da Copa América com 15 títulos (Argentina tem 14 e Brasil, 8), o Uruguai se despede. A última conquista uruguaia aconteceu em 2011, na Argentina, após derrotar o Paraguai por 3 a 0 na final.

Campeão em apenas duas ocasiões (1939 e 1975), o Peru chega pela terceira vez à semifinal, contando as últimas quatro edições do torneio.

Três das quatro partidas que definiram os semifinalistas da Copa América terminaram empatadas sem gols e foram decididas nos pênaltis: Uruguai x Peru, Brasil x Paraguai e Colômbia x Chile. A outra foi a vitória da Argentina por 2 a 0 sobre a Venezuela.

Uruguai e Peru fizeram um primeiro tempo com poucas chances de gols e tecnicamente ruim. Preocupado em não deixar espaços no setor defensivo, principalmente à dupla Suárez e Cavani, a seleção de Ricardo Gareca foi combativa e taticamente disciplinada, mas não teve forças para chegar ao ataque. Isolado, Paolo Guerrero pouco produziu. A única chance peruana em toda primeira etapa aconteceu aos 43 minutos, após um chute fraco e sem perigo de Flores.

O Uruguai, por sua vez, pecou na criatividade do meio de campo. Falhou na transição da defesa para o ataque e não permitiu que a bola chegasse com qualidade para sua qualificada dupla de ataque Com o meio congestionado por até seis peruanos, restou as jogadas pelas laterais.

A melhor chance de toda a primeira etapa foi do Uruguai. Aos 28 minutos, Nández cruzou da direita, a zaga peruana afastou mal e Arrascaeta chutou forte para as redes. O árbitro de vídeo entrou em ação e anulou o gol corretamente, anotando impedimento de Nández.

O confronto melhorou no segundo tempo e, logo nos primeiros minutos, cada seleção teve uma boa chance para abrir o placar: Flores acertou a defesa uruguaia no momento da conclusão dentro da área e Godín completou com perigo sobre o gol.

Aos 13 minutos, o Uruguai marcou novamente, mas o árbitro de vídeo anulou o gol, anotando impedimento de Cavani, que havia balançado as redes após encobrir Gallese. Os uruguaios ainda tiveram um terceiro gol anulado pelo VAR. Aos 27, Cáceres cruzou da esquerda e Suárez completou para as redes, mas estava em posição de impedimento.

Após os 40 minutos, o Uruguai se lançou de vez ao ataque na tentativa de evitar as cobranças de pênaltis. Apertou o Peru contra o seu campo, mas não conseguiu criar uma chance clara para marcar o gol da vitória.

Mais conteúdo sobre: