GP1

Teresina - Piauí

Raimundo Teixeira é nomeado como interventor no River

A decisão da 3ª Câmara Cível de Teresina se deu após recurso em 2ª instância da chapa de Robert Ibiapina.

O procurador Raimundo Nonato Teixeira de Miranda foi nomeado pela 3ª Câmara Cível de Teresina como interventor do River-PI. A equipe piauiense teve sua eleição, realizada em janeiro de 2021, anulada na última quarta-feira (1).

Procurado pelo GP1 Esporte, Raimundo Teixeira, que também compõe o Tribunal de Justiça Desportiva no Piauí (TJD-PI) afirmou que o esforço para a manutenção das atividades do clube será mantido. O River está em pré-temporada e inicia a disputa do Campeonato Piauiense em 15 de janeiro.

“É natural que a condução e manutenção das atividades do Clube por meio de um Interventor, ou seja, sem uma diretoria e seus respectivos diretores os trabalhos ficam de certa forma comprometidos. No entanto, no que se refere ao departamento de futebol todo o esforço está sendo feito para que essa atividade possa seguir de forma regular”, disse Raimundo Teixeira.

Entenda o caso

O River-PI realizou, em janeiro de 2021, as eleições para sua diretoria que teve duas chapas em disputa. “Francisco Luiz Soares de Oliveira (Pintinho), do ex-presidente riverino Genivaldo Campelo e a chapa do ex-diretor de futebol Robert Ibiapina, “Resultado e Transparência”.

Durante o pleito, a chapa encabeçada por Ibiapina, no momento detentora da presidência do conselho Deliberativo anistiou 6.540 sócios, que se tornaram aptos a votar. As decisões entre Conselho e Presidência divergiram e somente 69 sócios puderam depositar seus votos.

Foto: Divulgação/River ACEmpresário Ítalo Rodrigues será o novo presidente do River
Empresário Ítalo Rodrigues será o novo presidente do River'

Logo em seguida, a 1ª instância judicial foi acionada, o que fez com que o River Atlético Clube estivesse sob intervenção, nomeada à época pela Federação de Futebol do Piauí (FFP-PI). Trata-se da primeira passagem de Raimundo Nonato Teixeira de Miranda enquanto interventor no Galo Carijó.

O imbróglio parecia ter sido resolvido em agosto de 2021, com o resultado da 1ª instância, favorável à chapa de Campelo, que elegeu Ítalo Rodrigues enquanto presidente. A chapa concorrente recorreu, e o parecer da 2ª instância deixa novamente o tricolor sem uma diretoria, há pouco mais de 30 dias do início do campeonato. As datas para a nova eleição ainda não foram divulgadas.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.