GP1

Piauí

Homem que agrediu jornalista da TV Clube já foi preso acusado de roubo

A agressão ocorreu durante uma confusão generalizada no estádio Felipão, após jogo do Altos X Fluminense.

O homem acusado de agredir na noite da última quarta-feira (05) a jornalista Emanuele Madeira, do Globo Esporte Piauí - TV Clube, durante uma confusão generalizada no estádio Felipão, na cidade de Altos, foi identificado como João Paulo dos Anjos Abreu. O GP1 apurou que ele já foi preso pelo crime de roubo.

A repórter filmava a briga após o jogo do time do Altos x Fluminense quando teve o celular arrancado à força pelo homem, que a agrediu no braço e chegou a agarrar seu pescoço.

João Paulo foi preso em flagrante em abril de 2011, tendo a liberdade provisória concedida em maio do mesmo ano. Na época, o juiz Celso Barros Coelho Filho concedeu a liberdade ao preso alegando que o suspeito era réu primário.

Foto: Reprodução/WhatsappJoão Paulo dos Anjos Abreu
João Paulo dos Anjos Abreu

Ao decretar a soltura o juiz estabeleceu as seguintes condições: João Paulo dos Anjos Abreu não podia se ausentar da Comarca sem a autorização do juiz, deveria comunicar em juízo qualquer mudança de endereço e comparecer a todos os atos processuais para os quais fosse intimado, tudo sob pena de ser revogado o benefício da liberdade.

Entenda o caso

O fato aconteceu ao final da partida disputada pela 9ª rodada do campeonato estadual, onde o Altos venceu o Fluminense-PI por 2 a 0. A TV Clube emitiu uma nota repudiando o ocorrido, e segundo a emissora, a confusão começou com uma discussão entre o técnico do Fluminense e o presidente do Altos, o deputado Warton Lacerda (PT).

“Um bate-boca entre o técnico Wallace Lemos, do Flu-PI, e o presidente do Jacaré, Warton Lacerda, desencadeou uma batalha campal na porta dos vestiários do estádio Felipão, em Altos”, diz a nota.

Foto: Reprodução/InstagramMomento da agressão
Momento da agressão

Em um vídeo divulgado pelo Globo Esporte, é possível ver que a jornalista registrava o momento da confusão quando o homem disse que ela não deveria filmar. Ele tomou o celular da profissional e ela, ao tentar recuperar o aparelho, foi agredida por ele, que agarrou seu pescoço. “Enquanto filmava a briga, a profissional da TV Clube, afiliada da Globo no estado, teve o celular arrancado à força e foi agredida no braço por uma pessoa que depois a agarrou pelo pescoço se recusando a devolver o material de trabalho da jornalista”, afirma a TV Clube na nota.

Por fim, a emissora repudiou as agressões sofridas pela jornalista Emanuele Madeira. “A Rede Clube repudia de forma veemente as agressões físicas e verbais sofridas pela nossa colaboradora”, finaliza. A jornalista registrou Boletim de Ocorrência junto à Polícia Civil.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.