GP1

Política

Ciro Nogueira critica ministro Luís Barroso após pedido de CPI

"Não vai ajudar em nada as pessoas que estão morrendo", explanou o senador.

O senador piauiense Ciro Nogueira, que também é presidente nacional do Progressistas, criticou durante entrevista ao site Metrópoles, neste domingo (11), a decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado Federal para avaliar supostas omissões e ingerências do Governo Federal no combate à pandemia do novo coronavírus.

Segundo o parlamentar, nesse momento a decisão não ajudará em nada o Brasil, mas disse que toda ordem tem que ser cumprida. “A instalação de uma CPI, neste momento, não vai ajudar em nada as pessoas que estão morrendo, que estão sofrendo, mas a decisão judicial se cumpre”, destacou o senador.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Ciro Nogueira
Ciro Nogueira

“É uma decisão errada, mas que tem que ser cumprida. Critico totalmente, mas ele [Barroso] tem poder para isso. Temos que respeitar as instituições, sou favorável de que seja cumprida totalmente essa determinação. Eu não questiono isso [a legitimidade da decisão]. Eu questiono o momento em que ela está sendo instalada”, explicou.

Ciro Nogueira contou ainda que não acredita que a instalação da comissão signifique um abalo na relação entre o Planalto e o Congresso.

“Muita gente que estava sumida e que só gosta de holofotes, na época de CPI, de escandalizar, de aparecer, vai ter seu momento de glória. As pessoas responsáveis, que estão pensando na população, vão ter que dar estabilidade a essa situação, para que ela não crie qualquer problema para o país. Tenho certeza que o Congresso Nacional vai ter maturidade na condução dessa CPI, para que ela não atrapalhe nosso país. [A CPI] Não está sendo feita para ajudar o Brasil, com toda certeza”, finalizou Ciro Nogueira.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.